acupuntura é placebo dor

Acupuntura é placebo e uma fraude ou um tratamento válido?

Sem muitos rodeios vemos ataques constantes à acupunctura baseados em alguns estudos científicos. De acordo com estes a acupuntura é placebo, é uma fraude.

No entanto, na mesma medida que atacam a arte das agulhas, cada vez mais médicos, fisioterapeutas e enfermeiros procuram usá-la pelos seus resultados assim como é cada vez mais comum médicos encaminharem doentes para clinicas de acupuntura.

A acupuntura médica cresce a cada dia que passa, os fisioterapeutas criaram a fisioterapia invasiva (que basicamente é acupuntura) e adotaram técnicas de acupuntura (como a eletrólise percutânea, punção seca, neuromodulação periférica, etc…).

Como é possível que uma fraude tão grande esteja a cativar tantos profissionais de saúde a integrá-la no seu arsenal terapêutico?

Existe um consenso cada vez maior entre os médicos

Cada vez mais os médicos aconselham este tratamento aos seus pacientes e a introduzem nas suas guidelines terapêuticas.[1].

mitos da acupuntura

Nos EUA

Nos EUA o apoio à acupuntura por parte da comunidade médica é mais que evidente.

A Joint Comission, que acredita mais de 21000 hospitais nos EUA, recomenda a acupuntura como tratamento de primeira linha na dor.

A Agency for Healthcare Research and Quality do departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA recomenda no tratamento de lombalgia[2].

A Sociedade Americana de Dor recomenda esta terapia[3].

A academia americana de médicos de família recomenda para tratar a dor[4], [5]. Num artigo de um dos médicos da academia é afirmado:

“Traditional and modern acupuncture techniques may result in reported improvement in pain patterns.“[6]

Sobre a acupuntura no tratamento de enxaquecas esta academia de médicos de família dá uma resposta muito positiva baseada na evidência.

“Acupuncture reduces the frequency of migraine headaches when used as an adjunct to, or in place of, medical management. (Strength of Recommendation: A, based on meta-analyses).”[7]

O Colégio Americano de Saúde Ocupacional e Ambiental promove eventos a defender o uso da acupuntura na saúde ocupacional[8].

No resto dos países ocidentais

Fora dos EUA a história é semelhante. No Canadá os estudos sugerem o uso da acupuntura[9].

As guidelines Nacionais na Escócia aconselham-na para vários tipos de dor[10].

Na Austrália e Nova Zelandia, o colégio de anestesistas encontrou evidência fortes do uso de acupuntura para vários tipos de dor[11].

Recentemente, no Reino Unido, o National Institute for Health and Care Institute (NICE) retirou a acupuntura das terapêuticas eleitas para a lombalgia.

Isso foi seguido de uma série de críticas à falta de objetividade e rigor do estudo por membros da comunidade médica[12] e pela Australian Acupuncture and Chinese medicine Association[13]

crenças inúteis na acupuntura moderna

Acupuntura é placebo mas os médicos adoram

Entre os céticos e Ordens Médicas

Na mesma medida que vemos muitos céticos e médicos criticarem a acupuntura (especialmente quando praticada por não médicos) também notamos um crescimento cada vez maior de associações médicas ligadas a esta prática.

Estas associações estão a crescer no Brasil[14], Portugal[15], Espanha[16], França[17], Reino Unido[18], etc…

Ou seja é difícil encontrar um país desenvolvido com as melhores universidades mundiais, com os melhores sistemas de saúde onde a classe médica não pretenda usar esta terapêutica para tratar os seus pacientes.

O placebo enquanto boa prática médica

Poderíamos afirmar que a acupuntura é placebo, que é uma fraude.

E durante muitos anos os acupuntores foram (e são-no) rotulados de fraudes porque supostamente só fazem placebo.

Mas recentemente o Bastonário da ordem dos Médicos defendeu que um médico que só faça placebo é um excelente médico[19].

A mudança de paradigmas culturais[20] e os interesses profissionais parecem jogar forte quando se trata de rotular profissionais fraudulentos.

O problema científico e educativo

O problema cientifico

Existem óbvios problemas na investigação científica desta técnica invasiva. Não se pode negar a existência de problemas nos estudos científicos.

No entanto, apesar destes problemas, está a tornar-se cada vez mais mainstream nos países mais desenvolvidos do mundo.

Os problemas nos estudos tem estado associados à comparação de acupuntura “verdadeira” e “falsa”.

No entanto, os estudos que analisam os mecanismos neurofisiológicos pelos quais trabalha estão bem realizados e começam a ter mais importância que os primeiros.

Outro problema está associado à forma como diferentes profissionais olham esta prática.

pilares da acupuntura

O choque entre vitalismo e mecaniscismo

No Ocidente é comum a existência de versões esotéricas da acupuntura (acupuntura quântica, acupuntura esotérica, etc…) ou demasiadamente tradicionalista ou fundamentada na experiência de mestres que decidimos idolatrar.

Também é comum uma abordagem mais científica, pragmática, fundamentada em anátomo-fisiologia humana.

Regra geral esta última forma de olhar a acupuntura é mais seguida por profissionais de saúde ao contrário dos acupuntores.

Ou seja existe um claro choque de valores no que concerne à importância que devemos dar relativamente à tradição, a crenças ou a raciocínio lógico.

Conclusão

A acupuntura é placebo? Será uma fraude?

Apesar dos problemas existentes com alguns tipos de estudos, na forma como desejamos ler os seus resultados ou no choque cultural entre diferentes tipos de praticantes uma coisa não se pode negar: esta terapêutica está para ficar e cada vez mais se mostra como um tratamento de primeira linha para a dor.

Os seus resultados clínicos, a segurança inerente à prática e o facto de ser economicamente acessível torna esta prática apetecível para muitos profissionais de saúde.

O facto que após ter sido usada durante muitos anos por profissionais com poucas qualificações (seja clínicas ou técnicas) e de ter dado tantos problemas em termos de formulação científica consiga ganhar cada vez mais respeito deve dizer-nos alguma coisa sobre o seu potencial clínico.

O facto que se tentam definir cada vez mais técnicas revolucionárias que são em tudo idênticas à acupunctura como a punção seca, EPI ou PTNS (posterior tibial nerve stimulation) deveria dizer-nos algo acerca do seu potencial terapêutico.

E para si a acupuntura é placebo? Será a acupuntura uma fraude?

Referências Bibliográficas

[1] https://www.change.org/p/jimmy-wales-clean-up-the-wikipedia-acupuncture-page-to-reflect-medical-and-scientific-consensus?recruiter=515802479&utm_source=share_petition&utm_medium=facebook&utm_campaign=share_for_starters_page&utm_term=des-lg-no_src-no_msg

[2] https://effectivehealthcare.ahrq.gov/ehc/products/553/2327/back-pain-treatment-clinician-161115.pdf

[3] https://annals.org/aim/article/736814/diagnosis-treatment-low-back-pain-joint-clinical-practice-guideline-from

[4] https://www.aafp.org/afp/2009/0901/p481.html

[5] https://www.aafp.org/afp/2016/0901/p369.html

[6] https://www.aafp.org/afp/2009/0901/p481.html

[7] https://www.aafp.org/afp/2010/0415/p1036.html

[8] https://acoem.org

[9] file:///Users/apple/Downloads/acupuncture_evidence_from_systematic_reviews_and_meta_analyses.pdf

[10] https://www.sign.ac.uk/pdf/SIGN136.pdf

[11] https://search.informit.com.au/documentSummary;dn=475921796102541;res=IELHEA

[12] https://blogs.bmj.com/aim/2016/11/30/too-nice/

[13] https://createsend.com/t/j-405A1B0C2F4B694A

[14] https://cmba.org.br/materias.asp?id=21&materia=4&conteudo=Acupuntura+M%C3%A9dica+no+Brasil+-+Um+Breve+Hist%C3%B3rico

[15] https://www.spma.pt/

[16] https://www.same-acupuntura.org/

[17] https://www.medecine.univ-nantes.fr/1207229306180/0/fiche___formation/

[18] https://www.medical-acupuncture.co.uk/Default.aspx?tabid=121

[19] https://www.tempomedicina.com/noticias/31762

[20] https://www.latimes.com/opinion/op-ed/la-oe-kaptchuk-honest-placebo-20161219-story.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.