paralisia de bell paralisia facial periférica

Paralisia facial ou Paralisia de Bell

TABELA DE CONTEÚDOS

A paralisia facial ou paralisia de Bell é uma paralisia total de todos os músculos ou alguns músculos da face.

Considera-se paralisia facial central quando tem origem em doenças do Sistema Nervoso Central e paralisia facial periférica ou paralisia de Bell quando tem origem no nervo facial.

Causas da paralisia facial

AVC 

Acidente vascular cerebral. neste caso trata-se de uma paralisia facial central.

A acupuntura e fisioterapia também são úteis no tratamento da paralisia facial no AVC.

No entanto devido à urgência em tratar outros sintomas, regra geral, este problema não é abordado nas consultas de acupuntura.

Traumas

O tipo e extensão do trauma pode condicionar os tratamentos para paralisia facial.

Stress 

Paralisia facial provocada por stress costuma responder bem à acupuntura sendo também necessário desenvolver estratégias de curto e longo prazo para ajudar a combater o stress.

Alterações bruscas de temperatura

Em particular exposição a vento e frio. É uma causa comum da paralisia facial e responde bem à acupuntura e fisioterapia.

Cirurgias

Podem condicionar os tratamentos de acupuntura.

Tumores que comprimem o nervo ou se encontram no nervo

Daí ser muito importante o diagnóstico médico. Garanta sempre que é observado(a) pelo seu médico.

Esta causa pode condicionar os tratamentos de acupuntura e tratamentos médicos iniciais.

Idiopática

É muito comum surgirem casos de paralisia facial sem causa conhecida.

Neste caso intitula-se paralisia facial idiopática.

Costuma responder de forma muito positiva à acupuntura.

paralisia facial periféricaFoto de Andrea Piacquadio no Pexels

Grupos de risco na paralisia facial

Diabéticos

Consoante o tipo de diabetes e o grau de severidade da doença pode comprometer a eficácia do tratamento.

É comum os diabéticos precisarem de mais tratamentos e não conseguirem uma evolução tão positiva quanto outros pacientes.

Grávidas no último trimestre

Em primeiro lugar deve ser observada pelo médico para garantir que não se trata de uma paralisia facial central.

Respondem bem aos tratamentos e o fator de risco não prejudica a resposta dos sintomas da paralisia facial aos tratamentos de acupuntura.

Doenças auto-imunes

Sintomas da paralisia facial

Para melhor compreensão vamos dividir os sintomas da paralisia facial em dois grupos:

Sintomas da paralisia facial nos músculos relacionados com expressões humanas

1 – Ausência de pregas frontais;

2 – Inexpressividade;

3 – Ausência de sulco naso-labial;

4 – Incapacidade de fechar um dos olhos;

5 – Bocas descida ou desviada.

Sintomas acompanhantes

1 – Dor no ouvido, atrás ou à volta e zumbidos;

2 – Dificuldade em mastigar os alimentos;

3 – Dificuldade em engolir alimentos ou líquidos;

4 – Alterações de sensibilidade na língua;

5 – Alterações de sensibilidade na face;

6 – cervicalgia ou tensão cervical;

7 – boca e garganta secas;

8 – lacrimejar ao vento e olhos secos.

paralisia de bell

Tratamentos para Paralisia Facial Periférica

Tratamentos Médicos para paralisia facial

Existem vários tratamentos médicos para paralisia facial.

Numa fase inicial o tratamento medicamentoso é o mais comum e numa fase avançada é normal alguns médicos aconselharem injeções de botox ou cirurgia.

É importante que seja imediatamente consultado(a) por um médico para ele definir o melhor tratamento a aplicar.

O tratamento farmacológico consiste em corticóides para tratar a paralisia facial e colírios para tratar a secura ocular que pode acontecer pela incapacidade do paciente em fechar o olho, por exemplo.

Fisioterapia e exercício

Os tratamentos para paralisia facial na fisioterapia consistem em exercícios específicos que tem como objetivo reativar a função dos músculos faciais.

Podem existir outras variações de tratamentos com massagem.

Regra geral, estes tratamentos são prescritos pelo seu médico.

Acupuntura

A acupuntura é, na nossa opinião, um tratamento de eleição tendo capacidade de melhorar o tempo de recuperação do paciente.

A sua associação com fisioterapia obtêm resultados excelentes.

A acupuntura acelera a recuperação do paciente, sendo um tratamento seguro, efetivo em termos de custo e facilmente tolerável pela maioria dos pacientes.

Acupuntura Elétrica na paralisia facial? A experiência chinesa

Alguns ex-alunos e colegas meus abordam-me com dúvidas sobre a aplicação de acupuntura elétrica na paralisia facial devido à experiência que lhes foi passada na China.

Os chineses estão a abandonar a acupuntura elétrica na paralisia facial devido aos efeitos secundários observados em alguns pacientes.

Em Portugal também existem alguns médicos e fisioterapeutas que não apoiam o uso de estímulos elétricos na paralisia de Bell.

Será, então, seguro e eficaz aplicar acupuntura elétrica na paralisia facial?

Vale a pena aplicar este tratamento face a efeitos secundários tão comuns?

Para mim vale pois é muito fácil controlar os efeitos secundários da acupuntura elétrica.

Ao longo de 15 anos só encontrei um paciente que ficou com estes efeitos secundários devido a fazer acupuntura elétrica no nosso gabinete e estímulo elétrico na fisioterapia, ao contrário do que lhe tinha sido recomendado.

O excesso de estimulação elétrica é a causa dos efeitos secundários observados.

Este artigo aborda as diferentes experiências clínicas que eu tive e tenho diariamente enquanto aluno de acupuntura num hospital chinês e enquanto acupuntor profissional.

Essas diferenças irão demonstrar que o problema não está na acupuntura elétrica mas na forma em que ela é aplicada.

O aparelho de eletroestimulação

Não há outra forma de o dizer. Se querem fazer acupuntura elétrica tem de abrir os cordões à bolsa e comprar um bom aparelho de electroestimulação.

Muitos profissionais compram máquinas baratas, de marca chinesa, de forma a poupar dinheiro.

No que toca à eletropuntura ou se compra algo que valha a pena ou nem vale a pena pensar em fazer.

Esta diferença é grande. Nos hospitais chineses usam máquinas de fabrico chinês de 100 euros. Eu uso máquinas de fabrico japonês de 600 euros.

A tecnologia é completamente diferente e os resultados notam-se a milhas.

Entre diferenças tem:

1 – Sistemas de segurança eficazes;

2 – Capacidade de controlar a intensidade com uma precisão muito maior e

3 – Capacidade de definir parâmetros de tratamento muito mais específicos (duração de fase, frequência, tipo de output, etc…)

tratar paralisia facial com acupuntura

A quantidade de estímulo

Enquanto estudante na China passei um mês inteiro num departamento que basicamente só usava acupuntura elétrica na paralisia facial.

O tratamento seguia desta forma: o paciente entra, é-lhe feito basicamente sempre o mesmo protocolo com estimulação elétrica e depois massagem com gengibre e moxibustão.

Característica importante: o tratamento era diário.

Não se pode estar a fazer acupuntura elétrica todos os dias nos músculos da cara pois são músculos muito finos e frágeis.

O problema de muitos protocolos de fisioterapia é este mesmo. Quando decidem fazer estímulo elétrico começam a fazer 3, 4 ou 5 vezes por semana.

É evidente que o estímulo forte e continuado os vai afetar.

A eletropuntura pode E DEVE ser feita uma vez por semana ou duas no máximo mas MAIS DO QUE ISSO NÃO.

E deve ser feita com um intervalo regular de dias (segundas e quintas ou terças e sextas, por exemplo).

È importante notar este pormenor: a acupuntura elétrica não é a mesma coisa que uma contração ativa do músculo.

A acupuntura elétrica vai facilitar essa contração ativa, logo ela deve ser feita de forma a que o paciente consiga provocar um estímulo ativo no músculo.

E depois é treinar pois é o treino físico dos músculos (encher balões de ar, soprar, fazer macacadas com a cara, etc…) que vai fazer o paciente recuperar bem.

Isto não significa que a acupuntura elétrica seja secundário pois estes estímulos vão garantir que o paciente começa a fazer esses movimentos mais cedo e de forma mais continuada.

Na recuperação de uma paralisia facial É ESTE TRATAMENTO IMEDIATO E AGRESSIVO QUE FAZ A DIFERENÇA.

Aspeto importante: consoante o tipo de corrente (alterna ou continua) algumas máquinas podem ter estímulo mais forte no pólo negativo.

Ou seja se mantivermos o pólo negativo sempre no mesmo ponto existe uma parte do músculo que é estimulada com mais intensidade.

Mudar os pólos ajuda a evitar este problema.

Tratamento deve adaptar-se à evolução do paciente

É tão simples quanto isto: se determinado músculo já não está afetado não precisa ser tratado.

Na medida que o paciente evolui notam-se melhorias maiores em determinados músculos.

Por exemplo, o músculo frontal costuma responder mais rapidamente nos tratamentos de acupuntura elétrica na paralisia facial.

Na maioria dos casos, nas últimas consultas já nem vale a pena estimular este músculo pois já não denuncia qualquer tipo de problema.

Só se estimulam músculos que sejam necessários.

Tratamentos caseiros para paralisia de Bell

Com pequenas excepções, a dedicação que demonstrar no dia a dia será decisiva para recuperar plenamente da paralisia facial.

Existem vários tipos de exercícios que pode fazer em casa desde encher balões de ar, bochechar água ou fazer caretas.

Nunca se esqueça de massajar toda a face e fale com o seu fisioterapeuta ou acupuntor para lhe darem as melhores dicas na massagem facial.

Pela minha experiência é a disciplina que o paciente tem em casa que tem o maior impacto no sucesso do tratamento.

Aproveite e vá namorar

Um dos aspetos mais importantes, no tratamento da paralisia facial, é o treino diário a que o paciente deverá sujeitar os seus músculos afetados. Existem movimentos específicos, que irão ser colocados em pormenores noutro texto, que o paciente pode ser ensinado a fazer.

Como refiro nas minhas consultas e aulas existem 3 movimentos iniciais que o paciente deve explorar:

1 – enrugar a testa;

2 – ativar o sulco naso-labial

3 – encher a boca de ar.

Estes são também 3 movimentos que o paciente poderá fazer ao longo do dia para conseguir recuperar a função muscular total.

No entanto, o ensino dos movimentos, a fisioterapia, os tratamentos de acupuntura não tratam um outro aspecto que é muito importante. A auto-estima do paciente.

Os músculos faciais são importantes na medida que estão associados à nossa beleza.

São também os músculos responsáveis pelas expressões humanas; algo extremamente importante na comunicação entre seres humanos.

A paralisia facial não afeta somente uma comunicação não verbal do paciente com o mundo, mas também a sua auto-estima, a sua auto-confiança.

É óbvio que uma recuperação rápida é importante para a pessoa poder ter uma apresentação, que considere saudável, face à sociedade.

Mas algo mais pode ser feito nesse tempo. Esse algo pode ser considerado perfeitamente banal para a maioria das pessoas, mas pode ter relevância para esses pacientes.

A razão pela qual conseguimos encher a boca de ar deve-se à existência de um músculo conhecido como orbicular dos lábios. Este músculo circunda a boca e é responsável pela contração e projecção para a frente dos lábios.

É este músculo que usamos quando assobiamos. E assobiar é um dos movimentos aconselhados a estes pacientes.

O movimento de projetar os lábios para a frente também é, provavelmente, o movimento preferido das pessoas. É o movimento do beijo… o famoso xoxo.

Uma forma de treinar o músculo orbicular dos lábios, para recuperar mais rapidamente e elevar a auto-estima e a intimidade do casal, num momento mais difícil, seria exactamente beijar. Portanto, vá namorar com paralisia de bell!

O conselho é simples: sofre de paralisia facial, passe o dia a beijar.

Namorar com paralisia facial devia ser o desporto favorito destes pacientes.

Namorar com paralisia facial deveria ser uma estratégia terapêutica para muitos pacientes.

Já agora, beijar também faz sorrir… um excelente treino para recuperar mais rapidamente a função de músculos importantes como bucinador e rizorio de santorini.

paralisia facial

Dúvidas frequentes dos nossos doentes

Suspeito que sofro de paralisia facial. O que devo fazer?

Se suspeita da existência de uma paralisia facial deverá consultar as urgências hospitalares e sera companhado(a) pelo médico de família..

Será o seu médico que lhe irá dar os primeiros conselhos e reencaminhá-lo para uma consulta de especialidade.

A paralisia facial recupera naturalmente sem tratamento?

Em muitos casos isso pode acontecer mas noutros não.

Lembre-se que a paralisia facial deve ser tratada o mais rapidamente possível.

Se se tornar crónica é provável que não seja possível recuperar a função total dos músculos faciais.

Quais os melhores tratamentos para paralisia facial periférica?

O melhor tratamento para recuperar de uma paralisia de Bell é o exercício físico, a contração ativa do músculo.

A acupuntura elétrica, pode ser usada de forma controlada, para ajudar essa recuperação.

Em terceiro lugar a massagem da face e a mobilização do nervo facial também podem ser um complemento importante.

O doente com paralisia facial periférica deveria associar o estímulo de acupuntura elétrica com a sua reabilitação.

A paralisia facial responde bem aos tratamentos de acupuntura?

Sim. Regra geral a acupuntura elétrica tem resultados muito bons na recuperação de um paciente com paralisia de bell.

No entanto o tratamento deve começar o mais rápido possível e não deve ser intensivo, ou seja, não deve fazer acupuntura elétrica mais de 2 vezes por semana.

Os pacientes aceitam bem o tratamento da acupuntura na paralisia facial?

Felizmente, até ao momento, todos os pacientes toleraram bem os tratamentos.

Sem dúvida, alguns pacientes são mais sensíveis à estimulação eléctrica das agulhas que outros mas todos eles se deram bem com este tipo de tratamento.

No entanto existem pacientes com fobia às agulhas.

Nestes casos o que aconselho é falar directamente com o acupuntor, expressar os seus receios e fazer uma pequena experiência de tratamento para ver se o medo se consegue combater.

Quais os melhores exercícios?

quando faz exercícios para a paralisia facial deve pensar em vários níveis: exercícios focados num músculo ou exercícios descoordenados. Entre os vários exercícios encontra:

1 – exercícios em frente ao espelho para estimular músculos responsáveis por determinada expressão (nojo, raiva, atenção, felicidade, etc…)

2 – beber água por uma palinha e deixar a água voltar para o corpo pela palinha;

3 – bochechar água tentando não deixar verter;

4 – encher balões de ar. Junte filhos e sobrinhos e faça uma festa de encher balões de ar. A festa também vai ajudá-lo(a) a sorrir.

Mastigar pastilhas ajuda a tratar paralisia facial periférica?

Muitos doentes referem que o seéu mdico lhes disse só para mastigarem pastilhas.

Ao mastigar pastilhas está a treinar os músculos mastigadores e não os músculos responsáveis pelas expressões faciais.

Mastigue pastilhas ajuda caso sinta dificuldade em mastigar alimentos mas mastigar pastilha não deve ser a sua principal preocupação.

Troque esse exercício por encher balões de ar.

O que pode prejudicar a resposta aos tratamentos?

Existem alguns fatores que afetam a resposta do paciente sendo estes 3 os mais importantes:

1 – Desinteresse do paciente na sua evolução e treino;

2 – Deixar passar a fase inicial sem tratamento e tornar o problema crónico;

3 – pacientes diabéticos demoram mais tempo a ser tratados e, regra geral, não evoluem totalmente.

Os tratamentos de acupuntura na paralisia facial incompatibilizam-se com outros tratamentos?

O tratamento mais comum para a paralisia facial é a fisioterapia.

A acupuntura não se incompatibiliza com as técnicas manuais da fisioterapia ou com a reabilitação física.

No entanto a acupuntura elétrica incompatibiliza-se com o TENS (estímulo elétrico trane-cutâneo).

Caso faça acupuntura elétrica não deve fazer mais nenhum estímulo elétrico na face.

Posso esperar para ver como correm os tratamentos convencionais e depois pensar em acupuntura elétrica se alguma coisa correr mal?

Muitos pacientes fazem isto e, na nossa opinião, é errado pois é mais difícil recuperar um paciente com paralisia facial há 6 meses ou um ano do que um paciente com paralisia há 8 dias.

A acupuntura na paralisia facial deverá começar logo nas fases iniciais.

Quanto mais cedo começar os tratamentos maior a probabilidade de recuperar totalmente ou satisfatoriamente da paralisia de Bell.

paralisia facial idiopática

Casos Clínicos

Paralisia facial unilateral

Paciente do sexo feminino recorreu às consultas de acupuntura devido à existência de paralisia facial unilateral com inicio 5 dias antes do começo do tratamento de acupuntura.

A paciente não apresentava sintomas comuns acompanhantes como alterações auditivas, dificuldade de mastigação ou deglutição.

Apesar de apresentar uma paralisia facial unilateral marcada, notava-se a existência de pequenas pregas frontais.

Entre os principais sintomas encontrava-se a dificuldade em fechar o olho, ausência de sulco naso-labial, e incapacidade de contrair o orbicular dos lábios (manter o ar dentro da boca).

O tratamento selecionado foi a eletropuntura sendo os pontos pensados numa lógica de miologia funcional. 

A paciente respondeu positivamente aos tratamentos sendo que ao final de 6 tratamentos de acupuntura, num espaço de 2 meses, ficou totalmente recuperada.

Paralisia facial periférica esquerda

Paciente do sexo feminino, na casa dos 30, recorreu às consultas de acupunctura devido à presença de paralisia facial periférica. Com início há 1 semana a paciente referiu começar por sentir alterações de paladar.

A paralisia facial periférica esquerda era caracterizada por ausência de rugas frontais, sulco nasolabial, incapacidade de encher a boca de ar e rir.

O tratamento selecionado foi acupuntura elétrica sendo os pontos de acupuntura pensados numa lógica de miologia funcional. Foi usado o aparelho de electroestimulação ES-160.

Ao todo a paciente fez 4 tratamentos de acupuntura ao longo de um mês sendo que ao final desse mês a paciente apresentava melhorias substanciais.

A paciente recuperou, em pouco tempo, da paralisia facial periférica esquerda sendo que também foram aconselhados exercícios específicos para a recuperação da paciente.

Tratar paralisia de Bell para responder melhor à fisioterapia

Paciente do sexo feminino com 63 anos de idade recorreu às consultas de acupuntura para tratar paralisia facial e dor no ombro.

A paralisia facial teve origem 1 mês antes do início das sessões. A paciente apresentava uma recuperação rápida com os tratamentos de fisioterapia.

No entanto notara que as melhorias começavam a diminuir e decidiu recorrer às consultas de acupuntura de forma a potencializar os efeitos da fisioterapia ao tratar paralisia facial.

Ao todo foram feitas 3 consultas de acupuntura para tratar a paralisia facial.

Após a primeira consulta a paciente referiu melhoras significativas na sua capacidade de manter os líquidos na boca e sentiu os músculos faciais mais relaxados.

Na segunda consulta de acupuntura continuou a tratar-se estes sintomas e adicionou-se uma segunda combinação para ajudar a contrair o orbicular dos olhos (o olho não fechava bem).

Ao todo foram realizadas 3 consultas de acupuntura ao longo das quais a paciente voltou a apresentar melhorias mais fortes aos tratamentos de fisioterapia.

Secundariamente a paciente apresentava dor no ombro que foi tratada com sucesso usando acupuntura.

Paralisia facial periférica tratada com acupuntura elétrica

Paciente do sexo masculino com 31 anos de idade, recorreu às consultas de acupuntura devido a uma paralisia facial unilateral com instalação 4 dias antes da consulta de acupuntura clinica. Já era a quinta paralisia de Bell que sofria.

O paciente apresentava grandes alterações na mobilidade dos músculos responsáveis pelas expressões humanas, que se faziam acompanhar de ausência de paladar e dor na região do ouvido e pescoço.

O tratamento selecionado foi a acupuntura elétrica e os pontos foram pensados numa lógica de miologia funcional. 

O paciente respondeu favoravelmente aos tratamentos sendo que ao final de 5 consultas estava quase sem sintomatologia evidente da paralisia de Bell.

Ao todo o paciente fez 9 consultas de acupuntura com uma semana de intervalo entre consultas.

Paralisia de Bell tratada com técnicas invasivas

Paciente do sexo masculino com 51 anos, recorreu às consultas de acupuntura devido à presença de paralisia de Bell.

A paralisia de Bell tinha surgido 5 dias antes e já mostrava uma pequena recuperação.

O paciente não apresentava sintomas acompanhantes como sintomas auditivos, sem dificuldade em mastigar ou engolir alimentos.

Os pontos de acupuntura usados foram pensados na lógica de mitologia funcional e foi usado o aparelho de eletroestimulação ES-160.

Ao todo o paciente realizou 4 tratamentos de acupuntura sendo que ao final a paralisia de bell não apresentava quase evidências da sua presença.

Paralisia facial crónica

Paciente do sexo feminino, na casa dos 20 anos, recorreu às consultas de acupuntura devido à presença de paralisia facial crónica.

A paralisia facial crónica existia há 5 meses. Inicialmente não fez tratamentos adequados.

Depois iniciou os tratamentos (fisioterapia, acupuntura e fitoterapia) e parou-os a meio durante mais de 1 mês. 

Ao final de 5 meses por conselho médico decidiu recorrer às consultas de acupuntura.

O tratamento seleccionado foi a electropuntura sendo usado o aparelho de electroestimulação ES-160.

A selecção de pontos para os músculos responsáveis pelas expressões foi de acordo com a miologia funcional e sistema nervoso.

Os princípios de selecção de pontos para os sintomas acompanhantes foi feito de acordo com a teoria dos meridianos.

Ao todo a paciente efectuou 7 consultas de acupuntura onde não se observou grandes melhoras.

Ao final desses 7 tratamentos a paciente efectuou uma electromiografia que conclui-o:

“Estudo electromiográfico confirma marcada lesão parcial, axonal, do nervo facial direito com sinais de reinervação recente, o que pode indicar potencial de moderada melhoria clinica. Observam-se ainda, movimentos sincinéticos entre os dois andares da hemiface direita e episódios de breve hemiespasmo facial secundário à lesão.”

Foram discutidos os prós e contras de tratar uma paralisia facial crónica em estado tão avançado, atendendo aos possíveis benefícios e custos de tratamentos, face ao historial e resposta recente da paciente.

A paciente decidiu não continuar os tratamentos de acupuntura.

Paralisia facial parcial após cirúrgia médica

Paciente do sexo masculino com perto de 30 anos recorreu às consultas de acupuntura devido a uma paralisia facial parcial esquerda que surgiu em consequência da colocação de aparelho metálico dentário.

Durante o 1º mês o paciente apresentou um edema facial muito pronunciado. Após o 1º mês recorreu às consultas de acupuntura para tratar a paralisia facial parcial.

A análise de miologia funcional indicou a existência de paralisia que afectava os músculos orbicular dos lábios e elevador do lábio superior e asa do nariz.

Os músculos zigomáticos não se apresentavam muito afectados.

O tratamento seleccionado foi a acupuntura sendo os pontos pensados numa lógica de miologia funcional.

Ao todo o paciente fez 6 tratamentos de acupuntura, ao longo dos quais respondeu de forma bastante positiva, notando-se melhoras notáveis na definição do sulco naso-labial e no movimento de abdução do ângulo da boca.

A porção superior esquerda do orbicular dos lábios também respondeu muito favoravelmente.

Paralisia facial tratada em paciente com fobia a agulhas de acupuntura

Paciente do sexo feminino com 76 anos, recorreu às consultas de acupuntura devido à presença de paralisia facial com inicio 7 dias antes.

A paciente apresentava sensibilidade e alguma fobia às agulhas o que condicionou o tratamento não sendo possível aplicar estimulação eléctrica (electropuntura) e em alguns casos não sendo possível fazer o tratamento completo.

Neste caso a paralisia facial foi tratada com acupuntura unicamente.

A acompanhar a paralisia facial existiam outros sintomas como dificuldade em mastigar, deglutir, fechar o olho, lacrimejar ao vento, zumbidos fracos e dor na mandíbula sendo esta uma consequência de um problema dentário e não da paralisia facial.

Ao todo a paciente fez 6 tratamentos de acupuntura sendo que ao final desistiu dos mesmos por motivos pessoais.

Ao longo dos 6 tratamentos a paciente apresentou melhoras significativas da sua sintomatologia sendo capaz de mastigar bem os alimentos, sendo capaz de sentir a língua e deglutir facilmente os alimentos. 

Os movimentos faciais também apresentaram grandes melhoras relativamente à capacidade de elevação do lábio superior, abdução do ângulo da boca, aumento das pregas frontais e capacidade de contrair orbicular dos lábios.

Foi pedido à paciente que realizasse determinados exercícios para favorecer a sua recuperação.

Tratar Paralisia Facial periférica

Paciente do sexo feminino, 39 anos de idade, recorreu à clinica para tratar paralisia de bell com acupuntura, tendo a paralisia facial inicio 8 dias antes.

A paralisia facial surgiu durante o sono. A paciente ainda apresentava dor atrás da orelha, dificuldade em mastigar e incapacidade em lacrimejar.

A avaliação neuro-muscular mostrou a inexistência de pregas frontais, ausência de sulco naso-labial, incapacidade de fechar o olho e de encher a boca de ar.

O tratamento de eleição foi a acupuntura elétrica e consistiu na selecção de pontos de acordo com a miologia funcional e pontos sintomáticos para sintomas acompanhantes.

A paciente respondeu de forma extremamente positiva, sendo que ao final de 5 meses de tratamento (18 tratamentos de acupuntura), com consultas semanais, não apresentava alterações denunciadoras da paralisia facial periférica.