crenças inúteis na acupuntura moderna

O que é a acupuntura moderna ou acupuntura contemporânea?

A acupuntura moderna ou acupuntura contemporânea refere-se ao raciocínio subjacente ao uso de agulhas de acupuntura em bases científicas, especialmente neurofisiológicas.

Ou seja a acupuntura moderna parte de princípios fisiológicos e anatómicos e não da teoria dos meridianos.

Acupuntura contemporânea também se pode chamar acupuntura científica, pois o molde de raciocínio clínico é cientifico.

Lutas ideológicas

No ocidente existem duas correntes ideológicas distintas.

Uma dominada por um pensamento esotérico (energias, etc…) e tradicionalista (medicina tradicional chinesa) e outra ideologia baseada em raciocínio clínico fundamentado em neurofisiologia humana.

A primeira ideologia reina numa classe que procura a regulamentação pelas Terapêuticas Não Convencionais.

A segunda é preferida em classes de saúde já existentes como sejam os fisioterapeutas, médicos, alguns acupuntores e outros profissionais de saúde que façam acupuntura.

Além deste remake setecentista de vitalizo vs mecanicismo e do saudosismo oitocentista do selvagem nobre também é preciso notar que estas formas de analisar esta arte também são afetadas por lutas de poder social.

Imagiologia médica para técnicas invasivas

Os primeiros exemplos do uso e imagiologia médica surgiram no início dos anos 90 com estudos a usar ultra-sons para melhorar a especificidade da punção.

No início do século XXI os fisioterapeutas tem estado na vanguarda no uso de ecógrafos para fazer punção eco-guiada.

Outra vertente encontra-se no uso de termografia.

Acupuntura moderna eco-guiada

Um conceito muito usado na EPI (eletrólise percutânea ecoguiada) e com um potencial de aplicação clinica enorme.

A puntura eco-guiada permite ao profissional inserir agulhas de acupuntura em profundidade de forma segura e estimular nervos músculos ou tendões que de outra forma seriam mais difíceis de estimular.

Este conceito passa completamente despercebido à classe dos acupuntores mais preocupados com técnicas milenares e esquecidas ou com energias substitutas de entidades divinas.

Mas deveria estar a ser falada amplamente pois pode vir a ser um auxilio enorme na recuperação de atletas, na reabilitação de pacientes com AVC ou lesões medulares, entre outros.

Um dos pilares da acupuntura é a localização e como digo aos meus alunos se souberem isto sabem 90% que há para saber com o uso de técnicas invasivas.

Termografia

Outra área de intervenção é a termografia.

A termografia clinica pode ser relevante no sentido de nos ajudar a encontrar as melhores áreas a punturar usando o menor número de agulhas possíveis.

A termografia pode ser um complemento importante no tratamento da dor e inflamação e particularmente em termos de investigação

Reflexões sobre o uso de métodos imagiológicos

Na medida que estes instrumentos se forem tornando mais baratos vão ser mais facilmente assimilados por diversos profissionais.

Neste momento a punção eco-guiada é mais comum em formações para fisioterapeutas do que para médicos ou acupuntores.

A termografia não goza do mesmo prestígio e o seu uso dentro de uma classe profissional varia muito de pais para pais.

Dúvidas comuns sobre acupuntura contemporânea

Mas o sistema de meridianos não é pensado na anatomo-fisiologia humana?

Efetivamente não. O sistema de meridianos foi construído a partir de uma série de observações clinicas mas é diferente da anatomia humana.

Existem determinados sintomas (dor na face anterior da perna por exemplo) que se for pensada somente em termos de meridianos não se conseguem tratar tão bem.

Em que consiste a acupunctura tradicional chinesa?

A acupunctura tradicional chinesa é pensada numa lógica cultural definida pela medicina chinesa. Neste caso o raciocínio dos pontos seguindo a lógica dos meridianos é comum.

Quais os tipos de acupuntura moderna?

Existem várias formas de se raciocinar na acupuntura moderna.

Os pontos gatilho ou pontos de acordo com a neuro-fisiologia são formas distintas de pensar.

Eu costumo ensinar os meus alunos a selecionar pontos de acordo com miologia funcional (muito usado na recuperação do ombro e na paralisia facial por exemplo), sistema nervoso (ciáticas), pontos gatilho (dores variadas) ou mesmo em associação entre estas diferentes formas de se pensar a acupuntura moderna (ciáticas, neuropraxia).

Neste momento os termos de técnicas invasivas são uma misturada de nomes técnicos com marketing para se tornarem mais respeitadas: neuromodulação periférica, eletrólise percutânea, neuromodelação percutânea ecoguiada, etc…

A acupuntura moderna é segura?

Sem dúvida que é segura e muito eficaz. Os princípios de segurança são os mesmos para qualquer forma de praticar esta terapia.

A acupuntura moderna é mais eficaz que a vertente tradicional?

Na nossa opinião sim pois preferível tratar patologia músculo-esquelética dando atenção a raciocínio clínico fundamentado na anatomia humana.

É preferível tratar doenças de medicina interna (rinites, sinusite, diarreia, vómitos, etc…) dando atenção à neurofisiologia humana e raciocínio clínico fundamentado em anatomo-fisiologia.

No entanto, estudando a vertente tradicional nota-se a existência de alguns princípios de raciocínio clínico objetivo mas que foram esquecidos por adições e leituras culturais.

A grande vantagem de uma abordagem contemporânea tem a ver com o maior foco na anatomia e ciência sem condicionantes culturais tão evidentes.

A acupuntura moderna é a mesma coisa que acupunctura médica ou fisioterapia invasiva?

Pessoalmente achamos muito infeliz o termo acupunctura médica pois está associada a uma posição abusiva de uma classe profissional.

Acupuntura moderna, contemporânea ou científica tem a ver com ciência e não com sociologia de classes.

Tanto a acupuntura médica como a fisioterapia invasiva são compostas por técnicas de acupuntura contemporânea e acupuntura chinesa.

Mas vendem-se como se fossem propriedade intelectual de uma classe profissional.

Na Clinica de acupuntura em Lisboa praticam acupuntura moderna?

Sem dúvida que é uma das nossas especialidades sendo mais comum o uso de abordagens invasivas contemporâneas do que tradicionais.

Mesmo no passado, alguns dos cursos ou formações avançadas que demos foram baseadas em abordagens contemporâneas como punção seca para pontos gatilho, neuromodulaçao periférica, acupuntura elétrica, raciocínio clinico fundamentado em análise de biologia funcional ou neurofisiliogia, etc…

Em suma, somos por experiência, grandes defensores de abordagens anatomopatológico-fisiológicas aplicadas a técnicas invasivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.